A Destruição da Razão

Georg Lukács

Preço normal R$ 85,00

Já não é sem tempo que esse livro deveria ter sido traduzido e publicado no Brasil. Não só por causa dos atuais e brutais ataques ao exercício da razão, da investigação científica e do pensamento crítico, mas também pela profunda decadência ideológica, tanto do pensamento burguês, como também da esquerda em geral, com a emergência, há décadas, do chamado pós-modernismo, nas suas várias facetas e a perda da perspectiva revolucionária. Se já, ao tempo em que esse livro foi escrito, esta decadência se manifestava amplamente, muito mais hoje quando a irracionalidade do capital e suas expressões teóricas se expressam de forma cada vez mais ampla, profunda e brutal, sustentando uma ordem social sempre mais perversa. Esse livro será, com certeza, um instrumento muito importante nessa luta contra o irracionalismo e contra a destruição da razão. IVO TONET

---

Sumário

Nota editorial
Apresentação
Nota sobre a 2ª edição alemã

Introdução
Sobre o irracionalismo como fenômeno internacional do período imperialista

Primeiro capítulo
Sobre algumas características do desenvolvimento histórico da Alemanha

Segundo capítulo
A fundação do irracionalismo no período entre duas revoluções (1789 / 1848)

I Observações prévias e de princípio sobre a história do irracionalismo moderno
II A intuição intelectual de Schelling como primeira forma de manifestação do irracionalismo
III A filosofia tardia de Schelling
IV Schopenhauer
V Kierkegaard

Terceiro capítulo
Nietzsche como fundador do irracionalismo do período imperialista

Quarto capítulo
A filosofia da vida na Alemanha imperialista

I Essência e função da filosofia da vida
II Dilthey como fundador da filosofia da vida do imperialismo
III A filosofia da vida no período pré-guerra (Simmel) 386
IV Guerra e entreguerras (Spengler)
V A filosofia da vida do período da “estabilização relativa” (Scheler)
VI A quarta-feira de cinzas do subjetivismo parasitário (Heidegger, Jaspers)
VII A filosofia da vida pré-fascista e fascista (Klages, Jünger, Baeumler, Boehm, Krieck, Rosenberg)

Quinto capítulo
O neo-hegelianismo

Sexto capítulo
A sociologia alemã do período imperialista 506

I O nascimento da sociologia
II Os começos da sociologia alemã (Schmoller, Wagner e outros)
III Ferdinand Toennies e a fundação da nova escola da sociologia alemã
IV A sociologia alemã do período guilhermino (Max Weber)
V A vulnerabilidade da sociologia liberal (Alfred Weber, Mannheim)
VI A sociologia pré-fascista e fascista (Spann, Freyer, C. Schmitt)

Sétimo capítulo
Darwinismo social, teoria das raças, fascismo

I Os inícios da teoria das raças no século XVIII
II Gobineau e a fundação da teoria das raças
III O darwinismo social (Gumplowicz, Ratzenhofer, Woltmann)
IV H. St. Chamberlain como o fundador da teoria moderna das raças
V A “visão de mundo nacional-socialista” como síntese demagógica da filosofia do imperialismo alemão

Epílogo
Sobre o irracionalismo no pós-guerra

Índice - nomes e títulos de obras
Apêndice

Posfácio
Sobre como lidar com o passado alemão

---

Coletivo Veredas
Ano de lançamento: 2020
794 páginas
Tamanho: 17x24 cm
ISBN: 978-65-88554-01-2