Karel Kosík: filosofia e história

Daniel Lúcio Petronzelli e Pedro Leão da Costa Neto (orgs)

Preço normal R$ 47,00

Clique aqui para receber uma notificação por email quando este título estiver disponível novamente.

O livro organizado pelos pesquisadores Pedro Leão da Costa Neto e Daniel Lucio Petronzelli é uma importante contribuição para a compreensão do marxismo do Leste Europeu e da obra do filósofo tcheco Karel Kosík. Sem dúvida, Kosík representa, segundo os organizadores do livro “um exemplo da parábola do marxismo e do movimento comunista no século XX: ela expressa as vicissitudes de suas histórias, de seus momentos áureos, de seus silêncios e, de suas derrotas com a restauração capitalista”. Entretanto, considero que a grande contribuição da presente obra é a revisão da antiga tradução do primeiro capítulo do livro Dialética do Concreto publicada no Brasil em 1969. Para esta tradução, agora revisada, foram consultadas diversas traduções do livro de Kosík (traduções italiana, espanhola e francesa), além do cotejo especial ao original tcheco, servindo como base para resolver os complexos embaraços filosóficos da obra. Ricardo Pereira de Melo

--

A Europa oriental – zona geopolítica que existiu entre 1945 e 1989 – viveu uma experiência histórica muito particular, ainda que diversificada e conflitiva, de tentativa de criação das bases materiais e ideológicas do socialismo, genericamente chamadas de democracia popular. A guerra fria restringiu a autonomia de cada um dos países dessa área, que ficaram, mais ou menos, submetidos aos interesses da segurança da URSS. Uma das implicações foi que o chamado “marxismo-leninismo” se fez ideologia de Estado, o que contribuiu largamente para limitar as experiências históricas em questão. Contudo, de modo algum isso que dizer que na Europa oriental a reflexão teórica fundada na tradição cultural iniciada por Karl Marx tenha deixado de se desenvolver nesses países, frequentemente em oposição ao regime e a ideologia vigente. Polônia, Tchecoslováquia, Hungria, Iugoslávia, cada um a seu modo, foram polos – ou escolas – de produção de marxismos criativos e poderosos. Desde a Hungria, com a escola de Budapeste de Lukács, a Polônia com sua rica reflexão sobre economia politica e história, a Iugoslávia com o pensamento envolvendo a critica ao stalinismo e a alternativa da autogestão. A Tchecoslováquia dos anos 1960 foi um importante laboratório para aquilo que Lukács chamou de “renascimento do marxismo”. Karel Kosík (1926-2003), um dos tantos discípulos de Lukács, foi o mais importante filósofo tcheco dessa geração e autor da obra clássica Dialética do concreto, publicada em 1963, e traduzida em diversas línguas, inclusive para o Brasil, em 1969, ainda que o impacto maior tenha ocorrido com a 2ª edição, de 1976. No entanto, a obra e o pensamento de Kosík não se limitam a esse magnifico livro e é isso que esse pequeno volume concebido por Daniel Lucio Petronzelli e Pedro Leão da Costa Neto mostra. Os organizadores lançam muitas luzes sobre o marxismo na Tchecoslováquia e como Kosík compõe página importante dessa história. Livro da maior importância para escapar da vulgata histórica.  Marcos Del Roio – UNESP Marília

---

Sumário

Apresentação | Daniel Lúcio Petronzelli e Pedro Leão da Costa Neto    

1. Dialética do Concreto Estudo sobre a problemática do Homem e o mundo - Capítulo 1. Dialética da Totalidade Concreta | Karel Kosík

2. A história da filosofia como filosofia (Dĕjiny filosofie jako filosofie) | Karel Kosik

3. Notas Introdutórias sobre a Trajetória intelectual de Karel Kosík | Pedro Leão da Costa Neto

4. Bibliografia Livros, Artigos e Entrevistas de Karel Kosík em Português, Espanhol, Italiano, Francês e Inglês

---

Ano de lançamento: 2022
Tamanho: 15x21 cm
Número de páginas: 187
ISBN: 978-85-53104-67-3