Reflexões sobre a teoria política do jovem Poulantzas (1968-1974)

Décio Azevedo Saes e Francisco Farias

Preço normal R$ 42,50

📣*América Latina Pulsa! América Latina Tiembla!*

📖_Lançamento de livro_📚
_*Reflexões sobre a teoria política do jovem Poulantzas (1968-1974)*_. Autores: Décio Azevedo Saes e Francisco Farias. Ed. Lutas Anticapital, 2021. 

*Participantes*: Francisco Farias (UFPI) e Lúcio Flávio R. de Almeida (PUC-SP)

🗓️ ⚡25/06 (sexta/viernes)⚡
⏰ ⚡15h (Hora de Brasília/hora de Brasilia)⚡

💡Após as exposições, os convidados responderão questões do chat! 

🔔Inscreva-se no canal e ative o sininho para ser notificado

*Realização*: 
▪️_Gepal-Grupo de Estudos de Política da América Latina (UEL)_

*Apoio*: 
▪️_GEA-Grupo de Estudos de Teoria da História em Althusser (Unesp/Marília)_
▪️_Marxismos, política e sociedade (UFFS/Chapecó)_
▪️_Mepri-Marxismo, Estado, Política e Relações Internacionais (Unesp/Marília)_

🗣️*AGRADECE-SE PELA AMPLA DIVULGAÇÃO!*📣

*Sigam-nos nas redes sociais*:

🔺*VI SIMPÓSIO INTERNACIONAL LUTAS SOCIAIS NA AMÉRICA LATINA - 13 a 17/09*

 

 Image

 

Aproveite para comprar o livro!

 

Sumário

Apresentação

 

Capítulo 1

A problemática do fracionamento da classe dominante na obra de Nicos Poulantzas

 

Capítulo 2

As frações do capital em Poder político e classes sociais

 

Capítulo 3

A questão dos diferentes sistemas de fracionamento da classe dominante

 

Capítulo 4

A teoria poulantziana do bloco no poder e da hegemonia política

 

Capítulo 5

O Estado capitalista e as classes dominantes em Poulantzas

 

Referências

 

Sobre os autores

 

Nossa exposição, em essência, tenta evidenciar a empreitada exitosa do jovem Poulantzas em romper com o economicismo – a determinação unilinear do econômico sobre o político e o ideológico na análise do todo social - que dominava a tradição da teoria social e bloqueava a construção da teoria do Estado e da política até a década de 1960.

Ao apontar a interdependência do tipo de relações de produção e o tipo de Estado, Poulantzas restringiu na prática a tese marxista da determinação em última instância pelo econômico ao campo da transição de um tipo histórico de formação social a outro; ao mesmo tempo, ele revalorizou o modo científico de síntese global, a exemplo da síntese construída por Marx em O 18 Brumário, no estudo das dinâmicas conjunturais das formações sociais capitalistas.

O resultado desse trabalho assumiu a forma de uma conversação, que vem aqui exposta a partir dos critérios temático e cronológico. Os temas abordados estão distribuídos pelos capítulos; e, dentro de cada capítulo, a discussão vem organizada segundo a ordem cronológica de publicação dos textos.

Esta conversa, a nosso ver, propicia uma avaliação ponderada da teoria sobre as frações da classe dominante e do bloco no poder em Poulantzas porque nosso diálogo encontra inspiração na crítica científica, que privilegia a análise interna do discurso teórico em vez de confrontá-lo externamente com argumentos produzidos em regra que não a partir do ceticismo metódico.

 

Tamanho: 15x21cm

320 páginas

Ano de lançamento: 2021